30.10.13

12 semanas + 4 dias

Hoje fui fazer a ecografia do final 1º trimestre. Estava muito ansiosa porque esta ecografia é muito importante e já pode detectar algumas malformações.

Correu tudo muito bem, graças a Deus. Sinceramente, até fiquei um pouco desiludida com a qualidade de imagem da ecografia. A imagem não é muito diferente da das 11 semanas, continua a ter pouca definição, mas é o possível por agora. Também vi o bebé em 3D, em tempo real. Foi possível confirmar a presença dos ossinhos do nariz, os bracinhos, mãozinhas, pernocas e pés. Perguntei pelos fémures, mas ainda não se vêem com clareza. Porém, era visível a translucência da nuca. So far, so good. Está tudo bem com o nosso bebé.

Depois, estivemos a conversar sobre vários assuntos. Foi muito interessante.

O sexo da criança - Durante a ecografia, eu ia perguntando sobre as perninhas, o tamanho, etc. O meu marido, muito sério, pergunta sobre o sexo. Nesta fase, o pénis e o clítoris têm o mesmo tamanho, logo é impercepível. Quando viu o ar de desiludido do meu marido, o médico prontificou-se a receber-me de hoje a 2 semanas só para vermos o sexo. Iupi!!

Rastreio bioquímico - O rastreio bioquímico não é assim tão importante como dizem. Aparentemente, o nome é mais pomposo do que a sua eficácia. A ecografia que fiz hoje é mais poderosa do que o rastreio bioquímico. O ecógrafo é muito potente e mais exacto. Há muitos falsos positivos com o rastreio. Amanhã, de qualquer forma, vou fazer a minha recolha de sangue no hospital.

Amniocentese - Fiquei com uma dúvida enorme dentro de mim. O médico diz que, aparentemente, está tudo bem com o meu bebé. Nada indica que possa haver malformações e /ou problemas crossomáticos, mas também não há 100% de garantias. O facto de ter 35 anos, neste momento, pelo que já foi observado, não é um risco maior do que se tivesse 20 anos. No entanto, mesmo que haja 1% de possibilidades de o meu bebé ter problemas graves, essa possibilidade existe. E só é detectável pela amniocentese. Quando lhe ia perguntar o que ele faria no meu lugar, deixou bem claro que é uma decisão que só eu poderei tomar. Confesso que estou inclinada para fazer a amniocentese. Os riscos para o bebé são mais reduzidos, hoje em dia.

Peso - Engordei 2 kg desde o início da gravidez. E ouvi um sermão! 2 kg em 3 meses é muito? O mais engraçado foi ver o meu marido a apoiar o médico. Ele tem pânico que eu fique gorda (E eu também...). O médico disse que 9-10 kg até ao final da gravidez era o ideal, mais do que isso parecia mal. Resumindo, nada de hidratos de carbono. Tenho a impressão que vou emagrecer e passar muita fominha.

Exercício físico - Quebrei mais um mito. O meu marido, chocado por ter eu engordado tanto (!), disse ao médico que eu ainda não tinha regressado ao ginásio, em jeito de queixa. O médico quase que proibiu. Disse que se passar 9 meses sem exercício nada me acontecerá. Que, caso comece a sentir contracções ou perdas de sangue, podemos associar ao exercício. Só mais tarde recomendam caminhadas para acelerar o trabalho de parto. Se quiser controlar o peso, controlo a boca. Para já, deixo-me estar descansadinha no sofá. Convenhamos, é mesmo onde me apetece estar.

Este é o meu bebé. :)

29.10.13

O sexo da criança

Acho que toda a gente tem curiosidade em saber o sexo do seu bebé. Por mim, apesar da enorme curiosidade, menino ou menina é indiferente. Já para o meu marido, ter um macho é ponto de honra. Homens e a sua descendência...

Encontrei, por acaso, uma coisa muito engraçada - uma tabela que determina o sexo do bebé. Ora bem, segundo esta tabela, vou dar ao senhor meu marido o tão desejado varão. Veremos daqui a uns meses. :)

28.10.13

Lista de compras

Conhecem esta lista de coisas para o novo bebé? Acredito que esta lista seja para as várias fases da criança. Um bebé não precisará de tanto.

Conhecem alguma lista mais simples e mais realista? Vá lá, ajudem uma mamã inexperiente. :)

Mobília & Outros Objetos de Apoio

  • Cama/Berço
  • Colchão
  • Grade de segurança para a cama
  • Mesa-de-cabeceira
  • Cómoda
  • Mesa de apoio/secretária
  • Estante/prateleiras
  • Cadeira para o quarto
  • Muda fraldas
  • Banheira de bebé
  • Banco de apoio para o WC
  • Cadeira para as refeições
  • Cadeira/assento para o carro
  • Tapa sol (vidros do carro)
  • Carrinho de passeio
  • Espreguiçadeira
  • Parque
  • Andarilho
  • Intercomunicador (vídeo/áudio)
  • Luz de presença
  • Aquecedor para quarto/WC
  • Cesto para brinquedos
  • Cesto para roupa suja
  • Objetos decorativos

Têxteis

  • Almofada(s)
  • Edredão
  • Cobertor(es)
  • Manta(s)
  • Lençóis
  • Resguardo impermeável para o colchão
  • Toalhas de banho
  • Toalha de praia
  • Tapete para o quarto
  • Cortinas para o quarto
  • Iluminação para o quarto

Vestuário & Calçado

  • Roupa interior (camisolas, cuecas)
  • Meias/collants
  • Pijamas
  • T-shirts (manga curta/manga comprida)
  • Polos (manga curta/manga comprida)
  • Malhas (camisolas, casacos)
  • Fatos de treino
  • Calças
  • Calções
  • Saias
  • Vestidos
  • Casaco/kispo
  • Chapéu/boné
  • Gorro/cachecol/luvas
  • Botas
  • Sapatos
  • Sapatilhas
  • Sandálias
  • Pantufas/chinelos
  • Calções de banho/fato de banho
  • Robe
  • Roupão de banho

Produtos de Higiene, Alimentação & Bem-estar

  • Fraldas
  • Toalhitas
  • Pó de talco
  • Creme para assaduras
  • Pente/escova
  • Tesoura (para cortar unhas)
  • Escova de dentes
  • Pasta de dentes
  • Champô/amaciador
  • Gel de banho
  • Creme hidratante
  • Protetor solar
  • Chupeta
  • Biberões
  • Pratos, talheres e copos infantis
  • Babetes
  • Termómetro (de testa/ouvido)
  • Saco/mochila para fraldas
  • Marsúpio/sling
  • Adaptador para sanita/potinho
  • Tapete anti-deslizante para banheira
  • Cancela de segurança para portas/escadas
  • Protetores de canto/tomadas
  • Fechos de segurança (armários, gavetas, janelas…)

Brinquedos & Divertimento

  • Livros
  • CDs (música bebé/infantil)
  • DVDs infantis
  • Bonecas
  • Peluches
  • Carrinhos
  • Bolas
  • Legos
  • Triciclo/bicicleta
  • Jogos/puzzles

27.10.13

À espera… e de saltos! Na sic Mulher

Hoje estreia um programa que tem tudo a ver connosco - À espera… e de saltos! ou em inglês, Pregnant in heels.

Retrata a vida de Rosie Pope, uma autêntica Guru em matéria de maternidade e moda. Quer enquanto designer de moda, quer como expert em preparação de partos, Rosie traz consigo garantia de sucesso.

Em cada episódio podemos acompanhar a vida desta mulher, no seu dia a dia, com a sua equipa, tentando responder da forma mais eficaz a todas as solicitações. A high society de NY e os seus dilemas e exigências a propósito da maternidade prometem dar bastante que fazer a Rosie, que reparte a sua agenda entre tudo o que é necessário na preparação para o nascimento destes bebés e a suas lojas.

Não percam hoje às 00:43, na Sic Mulher.


pregnant_in_heels.jpg

24.10.13

12 semanas

Hoje o meu bebé faz 12 semanas. Yay!!!

Cada semana que passa, o meu bebé tem uma aparência mais humana. Tem o tamanho de um limão.

Os olhinhos, que antes ficavam na lateral da cabeça, já se aproximaram mais um do outro. As orelhinhas já estão quase na posição normal. O fígado já produz bílis e os rins segregam urina na bexiga. (Isto parece-me um pouco estranho... para onde vai o xixi?)

O bebé mexe-se, apesar de ainda não sentirmos nada. (Pude ver isso mesmo, na ecografia das 11 semanas. Ele mexia-se imenso e eu não sentia nada. Parecia que estava a ver um filme.) As células nervosas multiplicam-se rapidamente e as conexões neurológicas no cérebro começam a formar-se. Agora, o bebé também adquiriu mais reflexos nas mãos, pés e pálpebras.

23.10.13

Bolachinhas deliciosas

Acabei de descobrir estas bolachinhas fantásticas, da Diese.

Têm fonte de fibra, foram confeccionadas com açúcar amarelo e têm gengibre. O gengibre é particularmente eficaz no combate aos enjoos. É. por isso, ideal para os mini-lanches entre refeições tão importantes para as grávidas.

E, muito importante, são uma bolachinhas deliciosas! O gengibre dá-lhe um toque apimentado, que eu adoro.


22.10.13

Os cremes anti-estrias

Pouco depois de ter descoberto que estava grávida, comecei a hidratar bem a barriguita, mamocas e rabiosque. Na altura usava o creme Neutrogena do costume, mas depois passei a usar o Creme Gordo da Barral. O Creme Gordo foi-me recomendado por todas as mamãs.

Quando comecei a usar o Creme Gordo, detestei a sensação. É pastoso, de difícil absorção e detesto o cheiro. Sempre que o aplicava, ficava com a roupa toda suja porque, como não absorve logo, cola-se à roupa. Depois o cheiro é insuportável para mim. Não conseguia dormir com aquele cheiro colado a mim. Pode ser da gravidez, mas não estava a resultar da melhor forma.

Na última consulta com a minha médica, resolvi abordar este assunto. Há um aspecto muito importante, a minha médica está grávida. Percebeu logo a minha preocupação, mas estava com algum receio em dar-me outras marcas por causa dos preços. Disse que o aparecimento das estrias era genético, mas podia ser aliviado pela ingestão abundante de água. Os cremes, claro, têm o seu papel na hidratação da pele, mas por si só não fazem milagres.

As marcas que ela me recomendou foram: D'AVEIA e ISDIN.

Fui à Farmácia para poder cheirar os dois. Nesta fase, estou super sensível aos cheiros. O ISDIN é muito difícil de encontrar. Corri imensas farmácias até encontrar esta marca. Conseguiram arranjar-me amostras para podes testar e cheirar. Incomparavelmente, o ISDIN é melhor. Mais suave, mais cheiroso, mais absorvente.

Comprei o Velastisa Anti-estrias da ISDIN. Custou 33,99€.

21.10.13

O primeiro susto

Ontem, vivi um susto que não estava à espera.

Acordei bem tarde, por ser domingo. Por volta da 1 da tarde, tomei o pequeno-almoço, como sempre faço ao acordar - muesli com iogurte. Umas 3 horas mais tarde, saí para ir ao supermercado e lanchei fora de casa - um lanche misto e uma meia-de-leite de cevada. Estava bem, sentia-me alimentada. No shopping, estava com um bocado de calor, mas nada de especial.

Fui fazer umas compras ao supermercado. Enquanto estávamos na fila, fui colocando as compras no tapete. A única coisa pesada que levantei foi um pacote com 6 garrafas de água de 1,5 litros, ou seja, 9 litros. Não é nada que não fizesse antes. Quando me baixei para buscar mais compras, senti uma tontura enorme, logo seguida de outra. Fique muito, muito aflita, porque as únicas vezes que senti isso, desmaiei efectivamente. Saí, sentei-me no exterior, acalmei-me um pouco e fui logo para casa, descansar.

Não sei qual o motivo das tonturas, mas aprendi algumas lições:

- Estava a sentir-me super confiante com esta gravidez. Não tinha enjoos, sentia-me bem. Achava que já não me ia acontecer nada por estar tão perto das 12 semanas. Estava errada. É certo que não estamos doentes, mas não devemos sempre ser cautelosas;

- Nunca, mas nunca estar mais do que 2 horas sem comer. Andar com uns snacks ou fruta sempre connosco. Evitar os picos de açuçar no sangue.

- Nunca estar em ambientes muito quentes;

- Nunca carregar pesos;

- Também li que o útero começa a pressionar o sistema vascular e isso pode fazer com que a tensão desça, provocando tonturas ou desmaios. Claro que isso não podemos controlar.

Tenho um marido que acha que gravidez não é doença. Concordo. Mas também não é uma situação normal, logo há comportamentos que têm de ser alterados. Tenho um marido que acha que estou sempre a comer, ameaçando-me de que vou ficar gorda como uma orca. Tenho um marido que diz que tenho que fazer tudo o que fazia antes. As renas também engravidam e lá andam a correr e a saltar nos bosques. O que fazer perante isto? Da minha parte, apesar de algumas destas críticas serem jocosas, vou continuar a proteger-me e ao meu bebé e a fazer aquilo que é aconselhado pelos médicos. A sensação de que vamos perder os sentidos é horrível e não quer voltar a passar por isso.

Os chats

Quando descobri que estava grávida, resolvi procurar a minha nova tribo. Para mim era importante porque eu não percebo nada de gravidez, nunca acompanhei a gravidez de ninguém e tinha imensas dúvidas. Fui muito bem acolhida por todas as meninas que andavam por lá e percebi que havia 3 tipos de pessoas por lá:

- As mães
- As grávidas
- As tentantes (sim, aprendi uma palavra nova que define as meninas que tentam engravidar)

As mães falam mais entre si, dos seus bebés. Muitas já se conheceram no chat durante a gravidez, conhecem os nomes dos bebés.

As grávidas bombardeiam as mães com perguntas sobre o parto (eu incluo-me aqui), se foi difícil, se doeu, quantos pontos levou, se o pós-parto dói, se dói a fazer xixi, se dói a fazer cocó. Enfim, tudo aquilo que elas já não valorizam porque já têm um bebé nos braços. Entre si, falam de nomes de bebé, de medicação, de sintomas.

As tentantes são as mais ansiosas. Qual mães, grávidas, qual quê?! Já vi tentantes mais relaxadas, mas de uma maneira geral vivem num estado de ansiedade que eu nunca experimentei. É angustiante vê-las perguntarem, quase em desespero, se estarão grávidas porque acordaraam enjoadas, porque lhes dói a barriga, porque lhes dói as mamas, porque estão com calor, porque estão com frio. Medem temperaturas, fazem testes de ovulação 3 vezes por dia, todos os dias, testes de gravidez, pesquisam testes caseiros na internet e, em desespero, pedem validação do que sentem nos chats a pessoas que não percebem nada do assunto. Só lhes posso dar um conselho: aguardar, fazer um teste e procurar um médico. Foi assim que eu fiz e não me dei mal. Não consigo sequer imaginar a angústia em que vivem. Deve ser dolorosíssimo querer amar um filho e não poder.

Por outro lado, achei engraçado os nomes que dão ao período menstrual, como se tivessem medo das palavras. Pode ser red, na versão portuguesa, ou monstra, na versão brasileira. Pensei que tabus deste género já não existissem. Estava errada.

Eu frequento muito um chat em particular. Aprendo muito, partilho muito, mas é muito importante que se filtre tudo. Ouvir determinadas experiências (que são muito válidas) pode ser traumatizante para quem as ouve. Cada caso é um caso e, nestas coisas, só confio em médicos. Gosto de recolher todo o tipo de informação, mas depois é preciso ter a inteligência de relativizar.

19.10.13

11 semanas + 1 dia

Ontem foi dia de ir à consulta. Estava muito ansiosa. No último mês não soube notícias do bebé e precisava de saber se estava tudo bem.

Assim que cheguei a enfermeira mediu-me as tensões. Depois, fiz xixi para um copinho e colocou lá dentro uma tira de papel que revelava uns valores quaisquer. Não percebi o que era, mas havia uma escala. Pelos vistos, também estava tudo bem aqui.

Depois fui ter com a médica. Fomos logo fazer a ecografia. Pediu-me para tirar a roupa e eu perguntei se não ia ser uma ecografia na barriga. Ela ficou na dúvida porque achava que ainda não se ia ver. Tentámos a ecografia pela barriguita. Eu achava que estava de 10 semanas e qualquer coisa, mas afinal já estava de 11 semanas e 1 dia. Acho o máximo esta precisão.

Ver o bebé foi uma coisa linda. Eu sou uma pessoa muito espontânea, mas gosto de esconder as minhas emoções, sobretudo quando estou muito feliz. Fiquei com os olhos cheios de água, mas não chorei. Olhei para o meu marido (que ainda é mais contido do que eu!) e lá estava ele de boca aberta a olhar para o ecrã, espantadíssimo. Ele não estava preparado para o que ia ver. Aliás, ele nem queria ir. Como ainda não tenho barriga, ele achava que o bebé não se ia ver, que ainda não era "nada". Chega lá e vê o bebé já todo formadinho. Foi mesmo emocionante.

Entretanto, vejo a imagem a mexer-se muito. Perguntei-lhe se era da imagem e a médica diz que era mesmo o bebé a mexer-se. Não imaginam o quanto ele se mexia. Parecia que estava a nadar de costas. Foi impressionante ver o que estava a passar na minha barriga naquele preciso momento e eu não estar a sentir nada.

Alívio #1 - O osso do nariz estava lá. O que significa isto? Às 11 semanas os ossos de nariz do bebé já estão visíveis. Isto é considerado um marcador que ajuda no cálculo do rastrio de risco do 1º trimestre. Quando estão visíveis, o risco de o bebé ter Síndroma de Down será mais reduzido. Isto porque o nariz dos bebés com Trissomia 21 é normalmente mais flácido e com pouco osso nasal formado, nas aparecendo na ecografia nesta fase. No entanto, também não é 100% certo. Isto apenas significa que os riscos são menores. De qualquer forma, é mais um passinho em frente.

As análises estavam todas óptimas. Engordei 1,200 kg, o que não é mau, mas é mais do que eu pretendia. Eu quero engordar o mínimo possível. Eu penso que engordei (apesar de ter perdido peso durante o primeiro mês, devido à falta de apetite) porque parei com o ginásio. Aliás, eu parei com qualquer actividade física porque só me apetecia dormir. Agora, vou voltar ao ginásio e penso que tudo irá ficar bem.

Daqui a 2 semanas, faço nova ecografia e rastreio bioquímico. Estou muito ansiosa.

Conheçam o meu nadador.



18.10.13

Consulta das 10 semanas

Hoje é dia de consulta das 10 semanas. Vou levar as últimas análises que fiz e penso que farei a primeira ecografia directamente na barriga.

Ando muito ansiosa. Apesar de ter corrido sempre tudo bem até agora, sinto-me muito angustiada por ainda não saber se está tudo bem com o meu bebé. A minha idade (35 anos) tem um peso enorme, conheço os riscos. Sei que nesta fase ainda não se vai detectar nada, mas é mais um pequeno passo.

Mais logo já sei mais coisinhas sobre o meu bebé. Fingers crossed!

15.10.13

Creme Gordo - AJUDA!!!

Comecei a usar o Creme Gordo clássico há uma ou duas semanas. Toda a gente me dizia para começar já a usar, mesmo não tendo barriga, e que este seria o melhor.

Agora, fiquei com uma preocupação enorme. Detesto a sensaçao deste creme na pele. É pastoso, de difícil absorção, cola-se na roupa e detesto o cheiro. O que me incomoda mesmo, mesmo é o cheiro. Só de pensar que preciso de aplicar aquilo todos os dias durante mais 7,5 meses só me apetece atirar-me ao chão. Depois, a roupa fica toda manchada e húmida. Quando aplico, sobretudo à noite, não consigo dormir toda pegajosa e com aquele cheiro.

Pedia a vossa ajuda para me sugerirem cremes, óleos ou loções (pessoalmente, adoro os óleos) sem cheiro, ou com cheiro mais agradável e que sejam muito eficazes no combate às estrias.


14.10.13

10 semanas

Este domingo o meu bebé fez 10 semanas. Deverá pesar cerca de 5g e medir entre 31 a 42mm, do tamanho de um morango.



Saímos também da fase mais crítica com relação às más formações congénitas (fingers crossed!), mais comuns durante o período embrionário do que no período fetal, que se inicia agora. Agora, os tecidos e órgãos do bebé crescem rapidamente e amadurecem.

A unhas começam a formar-se nos dedinhos, já não existe aquela membrana interdigital, e já há pelinho a crescer na pele.

O bebé já engole o fluido amniótico e já mexe. Os órgãos vitais (rins, intestinos, cérebro e fígado) já estão no seu lugar e começam a funcionar. Vão continuar a desenvolver-se duante toda a gravidez.

Os membros do bebé já se dobram. As mãos estão dobradas sobre os pulsos, junto ao coração. Os pézinhos já se poderão ver em frente ao corpo do bebé.

A coluna vertebral é claramente visível através da pele translúcida e os nervos começam a sair da coluna. A testa está enorme devido aos cérebro que se desenvolve. Está um cabeçudinho! :)

Exercícios de Kegel - o que são?

Enquanto pesquisava aplicações para o meu telefone relacionadas com a gravidez, deparei-me com uma aplicação sobre exercícios de Kegel. Por acaso, já tinha ouvido falar disto em duas alturas distintas. A primeira vez, foi quando uma pessoa de 60 e tal anos andava a fazer uma espécie de fisioterapia dos músculos pélvicos para combater aquelas perdas de urina chatas. Depois, ouvi falar disto quando a minha cunhada preparava a sua tese de mestrado em problemas de continência urinária em mulheres grávidas e puérperas.

Perante esta informação, comecei a praticar alguns exercícios. Era muito simples. Quando ia à casa de banho fazer um xixizinho (sempre que me lembrava, claro!), apertava, relaxava, apertava, relaxava. Ou seja, era como se fizesse o xixi por etapas. Pelos vistos, isto faz com que os músculos se reforcem. Nunca mais tinha lido mais nada sobre isto, a não ser agora, que estou grávida. Acho que faz todo o sentido recolher mais informação.

Que músculos são estes?

Estão localizados na região entre as pernas, a partir do osso púbico na frente até à base da espinha nas costas. Eles ajudam a sustentar a bexiga, o útero e o intestino, e a controlar os músculos que fecham o ânus, a vagina e a uretra. Quando estão fracos ou afetados de alguma forma (parto ou idade), podem causar incontinência urinária, redução no prazer sexual e prolapso ("queda" ou saída do lugar de algum órgão). Quem sofre da chamada incontinência de esforço pode deixar escapar um pouco de xixi ao tossir, rir ou fazer exercícios. Isto é ainda mais frequente em mães pela primeira vez - cerca de 25%. É assustador, não é?

Como podem ajudar os exercícios de Kegel?

Estes exercícios fortalecem os músculos do assoalho pélvico para que eles voltem a funcionar bem. Quanto mais trabalhados, mais fortes eles ficarão. Estes músculos dão melhor apoio ao peso extra da gravidez, ajudam no trabalho de parto e, ao aumentar a circulação, auxiliam na recuperação do períneo após o nascimento do bebé por parto normal. Quando feitos regularmente, esses exercícios ajudam a prevenir a manifestação da incontinência urinária e do prolapso.

Como sabemos quais são os músculos a exercitar?

Como já tinha dito acima, é como tentar impedir o xixi de sair, depois de já ter começado.
Pode parecer fácil, mas para funcionar, temos de fazer os exercícios sem:
• encolher a barriga
• apertar as pernas uma contra a outra
• enrijecer o rabiosque
• suster a respiração
Ou seja, somente os músculos do assoalho pélvico devem ser trabalhados.

Quando podemos fazer os exercícios?

Os músculos podem ser exercitados de pé, sentada ou deitada, mesmo quando estiver a fazer outras coisas, como a trabalhar. Faz-se da seguinte forma:
• Contrair os músculos do ânus e da vagina como se estivesse a reter o xixi;
• Contrair e relaxas os músculos três vezes;
• Mantê-los contraídos, mas continar a respirar;
• Relaxar.
• Ao voltar à posição normal, empurrar os músculos para fora. A seguir, contrair os músculos novamente.
• Repetir os exercícios várias vezes ao dia.

Agora é tentar fazer os exercícios de forma lenta e rápida:
• Exercícios pélvicos lentos: Vagarosamente, contrair e puxar para cima os músculos do assoalho pélvico o mais que conseguir. Mantê-los assim pelo maior tempo possível e depois relaxe aos poucos.
• Exercícios pélvicos rápidos: Contraia e relaxe os músculos imediatamente.
Repitir os exercícios cinco vezes ou até que esteja cansada. À medida que os músculos ficam mais fortes, a contração pode ser mantida por mais tempo e a quantidade de repetições pode ser maior. Após algumas semanas, já será possível notar a diferença, mas, para que os músculos tenham força total, terão que ser exercitados regularmente durante meses.

Qual a frequência dos exercícios?

Isso varia muito, dependendo de quão enfraquecidos eles estão, mas devíamos fazer 50 por dia e ir aumentando, ao longo de algumas semanas, até chegar aos 120 diários. Para ver como andam os músculos, é tentar interromper o fluxo do xixi no meio (mas nunca com a primeira urina do dia). Uma vez que seus músculos pélvicos se tiverem fortalecido, é importante manter os exercícios pelo menos por duas ou três vezes ao dia para sempre.

Aplicação para iPhone e iPad

A aplicação que eu descarreguei chama-se Kegel Trainer. O que esta aplicação faz é explicar o que são estes exercícios e depois guia-nos no exercício. A coisa engraçada nisto é que podemos marcar 2 alarmes por dia para nos lembrarmos de fazer os exercícios. Os exercícios são sempre diferentes, ora rápidos, ora mais lentos. A parte má é que a versão gratuita tem apenas 1 nível e 10 exercícios e só dá para 2 alarmes diários. Já terminei o primeiro nível e os alarmes continuam a tocar e posso fazer os exercícios todos. Recomendo.

13.10.13

Grávidas cheias de estilo. Ou não!

Gosto de me vestir bem. Gosto de estar arranjada. Gosto de coisas boas. Não me sinto nada culpada por ser assim. Gosto de estar atenta às tendências, adapto-as ao meu estilo e gosto pessoais e faço a minha própria moda.


Agora que engravidei, e apesar de ainda não ter uma barriga proeminente (dadas as minhas 9 semanas), não sinto vontade de usar os meus saltos altos, nem a roupa apertada e elegante. Neste dias, só uso calças de ganga, ténis, t-shirts. Ando cheia de sono, por isso fico sem vontade de me arranjar e maquilhar. Até a minha mãe já me mandou bocas.

Confesso, que agora já me tenho sentido melhor e já ando a tentar perceber como se deve vestir uma grávida. Desde que vi a Kim Kardashian a vestir-se pessimamente, de uma forma que a ridicularizou, fiquei a perceber que há um código a respeitar durante a gravidez. E tem de ser um código não de restrições, mas que ajude a grávida a ficar mais bonita e elegante.

Vou colocar aqui o que eu considero bons e maus exemplos.

Mau gosto:

Jessica Simpson seen backstage at ‘The Tonight Show with Jay Leno’ on March 12, 2012

Pregnant Adele shows off her baby bump while stepping out in London with her boyfriend Simon Konecki.



Bom gosto:

Baby bumpin’! Kristen Bell arrives at ‘The Lifeguard’ Premiere - 2013 Sundance Film Festival at Library Center Theater on January 19, 2013 in Park City, Utah

Shakira — with her growing baby bump — is spotted on January 14, 2013 in Barcelona

Reese Witherspoon shows off her baby bump at the ‘Mud’ premiere during the 65th Annual Cannes Film Festival in Cannes, France on May 26, 2012

Molly Sims show off her baby bump at the Rosie Pope Maternity Store Opening Event at Rosie Pope Maternity in Santa Monica, Calif. on March 29, 2012

A pregnant Alyson Hannigan arrives at Rosie Pope Maternity store opening event held in Santa Monica, Calif. on March 29, 2012

Anna Paquin, pregnant with twins, is seen arriving at London's Heathrow Airport.



11.10.13

A inundação de amor... ainda não chegou!

E, às 9 (quase 10) semanas de gravidez, eis que ainda não fui invadida por aquela sensação de amor inexplicável.

Sei que isto pode parecer horrível aos olhos de muitas mulheres, mas é a mais pura das verdades. Eu sempre me senti uma pessoa bastante maternal e protectora, mas apenas com a minha família, amigos e animais. Sou imensamente preocupada, atenta e solto as minhas garras de leoa para os proteger.

Conheço muitas mulheres que, assim que sabem que estão grávidas, começam logo a chamar de filho, dar nomes, fazer projectos... e eu não sinto nada disso. Neste momento, sinto imenso as transformações físicas que estão a ocorrer comigo, mas esse amor e ansiedade por conhecer a criança ainda não chegaram.

O que eu sinto desde o primeiro dia é uma necessidade enorme de me proteger para não fazer mal ao bebé (ou projecto de bebé). Tenho imenso cuidado com o que como e quando como. Procuro não fazer esforços abdominais ao espirrar ou tossir, sentar-me ou levantar-me, usar roupas apertadas. Não consigo não deixar de pensar nisso. Ainda nem voltei ao ginásio porque tenho medo que possa fazer mal ao bebé.

Porém, todas estas preocupações não me fazem propriamente sentir mãe de ninguém. Acho que protejo tanto esta criança que cresce dentro de mim, como protegeria qualquer outra criança ou ser humano que dependesse de mim desta forma. Não há nada de especial por ser meu. E acho que deveria sentir mais qualquer coisita, não?

Li um artigo que dizia que por algum motivo o período de gestação são os 9 meses. A mulher precisa, efectivamente, desse período de tempo para criar vínculos com o bebé. Há mesmo o perigo de, em casos de nascimento prematuro, esse vínculo ainda não estar estabelecido. Será que vai ser esse o meu caso? Tenho que aguardar os 9 meses?

Este é um dos meus maiores receios, não conseguir amar o meu bebé da forma que ele merece. Vejo todas as grávidas tão entusiasmadas, felizes, excitadas com a chegada de um novo membro, um bebé só delas, e eu só ainda consigo pensar no que vou engordar, estrias e partos dolorosos.

Se eu amo tanto os meus gatos, não serei eu capaz de amar o bebé que cresce todos os dias dentro de mim?

10.10.13

9 semanas

O meu bebé continua a crescer e cada vez mais parecido com um bebézinho e menos com um girino. Parece uma azeitona.

Penso que, nesta altura, todas as partes do corpo já estão formadas, apesar de irem sendo aperfeiçoadas ao longo do tempo que me espera.

O coraçãozinho já tem válvulas e os dentinhos já se começam a formar. A cauda já se foi embora. Os órgãos, musculos e nervos estão a crescer a grande velocidade. Os órgãos sexuais externos (caso seja um rapazinho) já lá estão, mas ainda terei que esperar mais umas semanas até os poder ver. Na verdade, não me prepcupa muito saber o sexo da criança. Os olhinhos já estão completamente formados mas só se vão abrir daqui a umas 27 semanas.

Os lóbulos das orelhas, a boca, o nariz (será que é grande como o do pai?), narinas já estão mais definidos. Os dados da fisionomia básica já estão lançados. Agora é esperar que ganhe peso.

5.10.13

Ontem contei a uma das minhas melhores amigas que estou grávida. Disse-me uma coisa que ainda não me saiu da cabeça: "Agora nunca mais vais estar sozinha." Isto é tão importante para mim, que tenho pânico de estar sozinha. Já não estou sozinha. Nunca mais estarei sozinha.



4.10.13

Sono, muito sono

Acho que desde a última vez que aqui vim passaram 2 semanas. Neste momento, aproximo-me das 11 semanas de gestação e o sono ainda não passou.

A minha vida resume-se a dormir, trabalhar e dormir. Como trabalho em casa, é-me muito fácil deixar-me adormecer ao computador. Claro que isso faz com que o meu dia de trabalho se prolongue. Não há vida social, não há espaço para telefonemas, nem disposição para conversas. Há tanta coisa a acontecer comigo neste momento e parece que não tenho reacção.

O que mais me surpreende é que só se costuma informar uma gravidez a partir do primeiro trimestre. A maioria das mulheres leva uma vida normal, insuspeita, trabalha e tem que suportar estes sintomas horríveis. Eu tenho imeeeeenso sono e dores de barriga o dia todo. Não tenho grandes enjoos (não tomei um único Nausefe até agora), passei a ter falta de apetite (como mesmo porque tenho de alimentar a criança) e as dores nas mamocas já não são tão fortes. Agora, como se disfarça o sono e o cansaço?

Espero que em breve isto mude e que possa apreciar a gravidez e regressar à vida normal.

.